Projeção do Portal Solar para este ano é atingir a cifra de R$ 500 milhões em equipamentos no marketplace brasileiro

 

O Portal Solar, maior marketplace em energia fotovoltaica do País, movimentou cerca de R$ 100 milhões em equipamentos de geração solar distribuída no Brasil em 2018. Ao todo, foram comercializados aproximadamente 6 mil geradores fotovoltaicos, o que perfaz uma potência de 30 megawatts instalados em 6 mil telhados de residências, comércios e indústrias, num total de 100 mil painéis solares.

A projeção do Portal Solar para este ano é atingir a cifra de R$ 500 milhões em negócios no País. Ao todo, o marketplace agrega cerca de 7 mil empresas e 2 mil itens disponíveis, incluindo centenas de opções de geradores fotovoltaicos (painéis solares), equipamentos de instalação, inversores, sistemas de bombeamento, entre outros.

O consumidor pode adquirir todo o sistema fotovoltaico para sua residência, comércio ou indústria diretamente no site do Portal Solar. Uma das estratégias adotadas pelo marketplace é o financiamento integrado para a compra e instalação dos equipamentos, via parceria exclusiva com a BV Financeira, marca de varejo do Banco Votorantim.

A operação de crédito é feita totalmente online e os recursos destinam-se a projetos orçados entre 5 mil e 500 mil reais, com parcelas que variam de 12 a 60 vezes e taxa de juros à partir de 0,99% ao mês e carência de até 60 dias. “A proposta do Portal Solar segue o mesmo conceito dos marketplaces do Vale do Silício, nos Estado Unidos, e da Austrália, de facilitar e ampliar o acesso às mais modernas tecnologias de geração solar”, comenta Rodolfo Meyer, CEO do Portal Solar.

Classe C lidera o interesse por energia solar

Segundo levantamento realizado com base em 1,2 milhão de consultas feitas no Portal Solar durante o ano de 2018, os consumidores da Classe C lideraram o volume de interesse na aquisição de equipamentos de geração fotovoltaica em telhados.

Os dados mostram que a renda média familiar das pessoas interessadas é de R$ 2.857,00. Segundo Rodolfo Meyer, CEO do Portal Solar, a escalada nas tarifas de energia nos últimos anos é um dos principais motivadores do interesse da Classe C na aquisição dos equipamentos solares. “Na última década, o preço do kit solar caiu cerca de 75%, o que tornou a alternativa energética mais atrativa para famílias de renda média”, explica Meyer.

A pesquisa ainda constatou que 30% dos usuários que fizeram as consultas são empresários, 25% assalariados, 22% autônomos ou profissionais liberais, 16% funcionários públicos e 8% aposentados ou pensionistas. Em relação à situação do imóvel, 80% já foram construídos e 85% dos clientes se declararam donos da propriedade. “O levantamento nos mostra que a energia solar é a fonte mais popular e democrática entre as famílias brasileiras”, conclui Meyer.

Compartilhar