Calvin Klein Jeans é a primeira a implementar a tecnologia em quatro lojas localizadas em São Paulo

A Foxbit, principal exchange de bitcoins da América Latina, e a Cloudwalk, rede e plataforma de pagamentos plug and play, desenvolveram uma solução que revoluciona o pagamento com bitcoins, pois zera a exposição de varejistas e compradores à volatilidade do ativo. A Calvin Klein é o primeiro varejista a implementar a ferramenta.

A volatilidade era considerada um dos grandes gargalos para a utilização e difusão do ativo como meio de pagamento.  A nova solução desenvolvida por Cloudwalk e Foxbit já cria uma ordem de venda automática dos bitcoins assim que a operação na loja acontece, o que permite a transposição desse obstáculo de forma simples e rápida. Todo o fluxo dura menos de 1 minuto. (Saiba mais no infográfico abaixo)

Para o varejista, existe ainda outra vantagem:  a operação acontece na mesma máquina POS que já recebe os pagamentos em crédito e débito, mas quando realizada em bitcoin a operação não tem custo de adquirência, bandeira ou de banco porque é uma operação totalmente sem cartão, realizada via QRcode.

“A Foxbit e Cloudwalk estão revolucionando a indústria de pagamentos e o ecossistema global da criptoeconomia com essa solução e é muito bom contar com uma marca internacional de tanto prestígio como a Calvin Klein como primeira parceira”, afirma o CEO da Foxbit, João Canhada.

Nesta etapa inicial, a Calvin Klein Jeans está disponibilizando a venda por bitcoins em quatro de suas lojas localizadas em São Paulo. São as lojas na rua Oscar Freire e nos shoppings JK Iguatemi, Iguatemi e Morumbi.

“A Cloudwalk é uma adquirente digital e temos como missão aceitar todos os meios de pagamentos, inclusive os criptoativos, em nossas soluções. Somos parceiros da Foxbit desde 2014 e muito felizes de desenvolver esse produto que é pioneiro na indústria em escala global”, afirma Luiz Silva, CEO e co-founder da Cloudwalk.

“Aceitar criptomoeadas como forma de pagamento em nossas lojas foi uma evolução natural, pois se trata de uma realidade para uma grande parcela dos nossos clientes aqui no Brasil. Fomos pioneiros“, comenta Fábio Vasconcellos, CEO da Calvin Klein no Brasil.

“O projeto está totalmente alinhado às nossas estratégias digitais, as transações com bitcoin são rápidas, baratas e seguras, o que nos levou a optar por ele neste momento, oferecendo mais esta facilidade para nossos clientes”, complementa Frederico Silveira, diretor de Tecnologia da Informação da Calvin Klein no Brasil.

Estimativas não oficiais apontam pelo menos 300 estabelecimentos comerciais (de bares a construtoras) que aceitam bitcoin como meio de pagamentos no Brasil. Com tecnologia inovadora, Canhada já prevê o crescimento exponencial desse número. “Queremos ampliar a nossa rede de varejos parceiros, atraindo também mais investidores e consumidores para o ecossistema”, disse.

Compartilhar