processo-digitalDepois de se tornar 100% digital, o TJ-SP lança o programa Justiça Bandeirante. Com ele, servidores, juízes e magistrados renovarão seus conhecimentos para potencializar o uso do sistema de acompanhamento e gerenciamento dos processos.

O projeto possibilitará que todos os usuários adotem plenamente a tecnologia da forma mais produtiva e contribuam à efetiva prestação jurisdicional. O programa foi lançado na terça-feira (15).

Com o lema Explorando os Sistemas, Conquistando Produtividade, o Justiça Bandeirante tem calendário de capacitações constantes e gradativas. O programa passará pelas 10 regiões administrativas (Grande São Paulo, Araçatuba, Bauru, Campinas, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Preto, São José dos Campos e Sorocaba) para que as orientações sobre as melhores práticas de gestão de processos digitais do Sistema de Automação da Justiça (SAJ) alcancem a todos os integrantes do TJ.

Os ciclos dos treinamentos se iniciam com a aula magna do presidente Paulo Dimas Mascaretti. Na sequência, ocorrem os eventos regionais que visam a potencialização das funcionalidades dos sistemas, a criação de um fórum para o compartilhamento de experiências entre os usuários e culmina na disseminação das melhores práticas.

Para Maria Cristina Bobadilla, coordenadora de Capacitação de Primeira Instância, o Justiça Bandeirante construirá formas de gerenciamento e execução do trabalho que aumentarão a produtividade e garantirão mais eficiência aos serviços.

Além disso, com a identificação das dificuldades dos usuários, será possível ajustar as rotinas para a adoção plena das funcionalidades do SAJ. ”Teremos a oportunidade de maximizar as melhores práticas, em forma de capacitação e produção de conteúdo, de modo a proporcionar o máximo de produtividade às unidades no uso dos sistemas”, comenta Rafael Stabile, gerente de Operações da Softplan, que desenvolve o SAJ em conjunto com o tribunal.

 Fonte: Vagner Ambrosio  /  Original 123

Compartilhar